fbpx

O que são alimentos artesanais e como tornar esse tipo de produto mais competitivo no mercado!

JUNTE-SE A MAIS DE 5 MIL EMPREENDEDORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Principalmente em meio à pandemia, encontrar novos meios de empreender é essencial para manter os negócios vivos. Para produtores de alimentos artesanais, então, a crise prejudicou ainda mais a competição com as grandes empresas.

Quer entender melhor que tipos de produtos podem ser considerados artesanais e como se destacar no mercado? Confere aqui em baixo todas as dicas que eu trouxe no post e hoje!

 

O que são alimentos artesanais

Alimentos artesanais são aqueles produzidos por técnicas manuais, na maior parte do processo, e em pequenas escalas. Normalmente esses produtos remetem à alguma característica local ou cultural e são evitados ingredientes industrializados em suas receitas.

O uso de algumas tecnologias, porém, não tira a propriedade do produto de ser artesanal. Durante a fabricação dos alimentos, é possível utilizar batedeiras, liquidificadores e fornos, os quais devem ser usados apenas para facilitar o processamento da matéria prima!

Como exemplos de alimentos que podem ser produzidos artesanalmente, temos: chocolate, doce de leite, geleias, queijos e até vinhos!

 

Selo Arte

Agora uma boa notícia: há um ano, era permitido vender alimentos artesanais apenas no próprio estado ou município de origem. Ou seja, se você fabricasse seus produtos no Paraná e quisesse vender em São Paulo, não era permitido!

A partir de 2019, porém, foi regulamentada a certificação de produtos artesanais, chamada de Lei do “Selo ARTE” (13.680/2018), permitindo a comercialização desses produtos por todo o território brasileiro.Imagem representativa do Selo Arte

Exigências

Esse selo se restringe aos alimentos artesanais de origem animal e é concedido pelos Estados e do Distrito Federal. No Paraná, a responsável por liberar a certificação é a ADAPAR (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná), e em São Paulo é a CDA (Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo).

Além disso, para conseguir o selo e poder considerar o alimento como artesanal, existem algumas exigências presentes no Decreto nº 9.918/2019, que regulamenta a fiscalização de alimentos de origem animal produzidos artesanalmente:

  1. As matérias-primas de origem animal devem ser beneficiadas na propriedade onde se localiza a unidade de processamento ou tenham origem determinada;
  1. A adoção de técnicas e utensílios predominantemente manuais em qualquer fase do processo produtivo, que tenha influência ou determine a qualidade e a natureza do produto final;
  1. A adoção de boas práticas de fabricação com o propósito de garantir a produção de alimento seguro ao consumidor;
  1. A adoção de boas práticas agropecuárias na unidade de produção da matéria-prima ou nas unidades de origem determinada, que contemplem sistemas de produção sustentáveis;
  1. O produto final é de fabrico individualizado e genuíno, podendo existir variabilidade sensorial entre os lotes;
  1. O uso de ingredientes industrializados é restrito ao mínimo necessário, não sendo permitida a adoção de corantes, aromatizantes e demais aditivos considerados cosméticos;
  1. O processamento é feito, prioritariamente, a partir de receita tradicional, que envolva técnicas e conhecimentos de domínio dos manipuladores.

Seguindo as regulamentações, então, você pode solicitar o uso do Selo Arte para o órgão responsável no seu estado! Adotar essa certificação comprova que o seu processo de fabricação foi inspecionado pelos serviços oficiais, dando maior credibilidade!

 

Como impulsionar as vendas de alimentos artesanais

Possuindo o Selo Arte ou não, lidar com a competitividade do mercado já e naturalmente complicado, ainda mais quando se compete com grandes indústrias.

Muitas das vezes, a venda do alimento artesanal é a única fonte de renda do produtor, então, encontrar meios de se destacar é essencial. E eu trouxe algumas ideias que podem te ajudar!

Boas Práticas de Fabricação

Além de ser obrigatória para conseguir o Selo Arte, seguir as Boas Práticas de Fabricação é o primeiro passo para conquistar seu público.

Para garantir segurança para seus clientes e entregar alimentos de procedência adequada, é preciso aplicar as regulamentações da Anvisa no espaço de produção. Como exemplo, temos o uso de equipamentos adequados (toucas, luvas, avental etc.) e limpeza regular da bancada utilizada para fabricação dos produtos.

Tabela nutricional

Um diferencial muito importante para expandir as vendas, com certeza é a elaboração de tabelas nutricionais.

Esse componente do rótulo, que mostra as informações de quantidades de cada nutriente no produto, passa maior confiança e transparência aos consumidores.

Além disso, o rótulo nutricional é basicamente exigido por todos os mercados para conseguir colocar seus produtos nas prateleiras. Se você precisa de um primeiro investimento certeiro, essa com certeza é a melhor opção.

Aumento do tempo de prateleira

E se você acha que alimentos artesanais sempre duram pouco, você está enganado. É possível aumentar a validade deles!

Apesar de serem evitados, o uso de conservantes alimentares é permitido mesmo se você deseja obter o Selo Arte.

Sua utilização deve ser moderada e deve ter como único objetivo a duração maior da qualidade do produto. Qualquer aditivo cosmético, como corantes e flavorizantes, não são permitidos – caso você deseje utilizar a certificação.

Além disso, o uso de conservantes não é único método existente para isso. Se você quiser saber mais sobre o assunto, é só clicar aqui para acessar nosso post com tudo sobre o aumento do tempo de prateleira de alimentos!

Qualidade do produto

Uma das melhores formas de atestar que apenas o melhor está sendo entregue aos seus consumidores é pela realização de análises sensoriais. Elas podem impulsionar seu produto para que tenha maior aceitação dos consumidores. Confira nosso eBook de Análise Sensorial abaixo!

eBook com utensílios atrásPowered by Rock Convert

Design

Outra estratégia muito favorável para pequenos produtores é a criação de identidades excêntricas e bastante diferenciadas. É comum encontrar embalagens de produtos artesanais bastante coloridos e com tom de brincadeira.

Investir nesse trabalho de criação diferenciado chama bastante atenção dos consumidores e agrega muito valor ao produto. Além disso, inserir elementos culturais e locais nesses designs, que remetam ao alimento produzido, também é uma estratégia favorável para atrair maior público!

Caso você se interesse por esse método de agregação de valor, a empresa Inventório com certeza pode te ajudar a criar um design que cumpra com seu desejo e as necessidades dos seus produtos!

Venda online

Por fim, se você quer alcançar mais pessoas e aumentar suas vendas, um meio excelente de conseguir isso é por meio das vendas online!

O uso de plataformas de delivery decolou durante a pandemia e se tornou um dos principais canais de compra dos consumidores. Se inserir nesses aplicativos se tornou essencial para manter os negócios abertos e pode ser a alternativa que você precisava para crescer no mercado.

Além disso, utilizar de outras plataformas online para se destacar também é válido. Divulgar seus produtos em redes sociais e criar um público engajado e que gosta dos seus produtos também é uma boa saída para contornar os efeitos da crise.


E então, já produz alimentos artesanais ou quer começar a produzi-los? Entre em contato conosco e te ajudaremos a tornar seu produto mais competitivo!

0 0 Voto
Article Rating
Inscreva-se
Avisar que
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Conteúdos Recentes

Quer tornar sua empresa uma

Conte-nos como
podemos te ajudar!

Quer tornar sua empresa uma

Conte-nos como
podemos te ajudar!

*sem compromisso!

0
Conte o que achou do conteúdo!x
()
x

Novidades Exclusivas

Inscreva-se e receba conteúdos fresquinhos na sua caixa de entrada!